A História dos Grandes Prêmios – Itália 1950

O Grande Prêmio da Itália de 1950, oficialmente conhecido como XXI Gran Premio d´Italia, sagrou pela primeira vez na história um campeão mundial de Fórmula 1. Se você acompanhou nossa série sobre essa temporada, provavelmente o nome dele não seja surpresa. Giuseppe “Nino” Farina desceu de seu Alfa Romeo 158 Alfetta naquele dia 3 de setembro como vencedor do primeiro campeonato da maior categoria do automobilismo. Além disso, a alegria era dupla: ele também venceu a corrida. Essa vitória fechou um ano dominado com boa folga pela equipe.

O local não poderia ser outro. O autódromo de Monza, um dos mais tradicionais do automobilismo mundial, recebeu essa prova histórica, que teve 80 voltas. Com certeza a expectativa em solo italiano era grande, já que todos os três pilotos da Alfa tinham chances de título. Além de Farina, Fangio e Fagioli, a equipe ainda decidiu colocar mais dois carros na pista. Seus pilotos eram Piero Taruffi e Consalvo Sanesi.

A Ferrari, única com chances de atrapalhar a vida dos compatriotas, também trouxe mudanças. Enzo Ferrari mandou alinhar na pista o novo 375F1. Alberto Ascari estava ao volante de um deles, mas seu companheiro Villoresi estava machucado e não correu. Dorino Serafini o substituiu. Além deles, o inglês Peter Whitehead, que correu sozinho pela scuderia na França, também estava presente. Porém, ele estava equipado com seu 125F1, que havia conferido um bom resultado na corrida anterior.  Por fim, Clemente Biondetti conseguiu inscrever uma Ferrari, uma 166T, que era movido a um motor Jaguar.

Pôster Oficial do Grande Prêmio da Itália de 1950. (Fonte: statsf1.com)

Como de costume, uma pole para Fangio

A pole ficou com Juan Manuel Fangio. O argentino fez um tempo de 1min58s3, a uma média de 191.716km/h. Foi a quarta pole dele na temporada. Em segundo lugar vinha Ascari, seguido de Farina e Sanesi. Atrás deles, na segunda fila, vinham Fagioli, Serafini, Taruffi e Sommer, da Talbot Lago. Whitehead conseguiu apenas o 18º posto e Biondetti o 25º. Largando da pole, as chances de Fangio, que era líder do campeonato, eram boas.

Três potenciais campeões, um com sorte

Contudo, já na primeira volta Fangio é ultrapassado por Farina e Ascari. O argentino conseguiu manter o terceiro lugar, e manteve um bom ritmo. Na sétima volta ele já fez a melhor volta da corrida, de 2 minutos. Na nona volta ele consegue retomar uma posição de Ascari, mas na próxima perde novamente. Na 12ª volta, o Alfa de Sanesi tem um problema de motor e ele abandona. Nesse ponto, já contamos com cinco abandonos. Um deles nem sequer conseguiu largar.

Já na 14ª volta Ascari consegue ultrapassar Farina, mas duas voltas depois ele leva o troco. Até aí mais três abandonos, e o de Biondetti viria na 17º giro. A briga continuava boa na ponteira, mas na 20ª volta uma válvula da Ferrari de Ascari se rompe e o italiano abandona. Quatro voltas depois é a vez de Fangio abandonar. Mas ele assume o volante da Alfa de Taruffi e logo se recoloca em segundo. Porém, não era o dia de sorte do futuro penta campeão. Na 34ª volta ele abandonou de vez a prova.

Na 48ª volta, Ascari retorna para a corrida, pilotando o carro de Serafini. Luigi Fagioli, que foi ganhando posições com os abandonos, estava em segundo, tentando alcançar Farina. Até que na volta de número 50 ele para nos boxes e perde essa posição para Ascari. Mesmo que o ídolo ferrarista conseguisse ultrapassar o Farina, ele ainda seria campeão. E isso não aconteceu pelo restante das 30 voltas. Nino Farina venceu a corrida, com Ascari em segundo e Fagioli em terceiro. Ele foi campeão com 30 pontos, enquanto Fangio ficou com 27 e Fagioli 24.

Guiseppe “Nino” Farina, campeão mundial de 1950. Foto tirada em Silverstone, naquele ano. (Fonte: formula1.com)

Resultado final do GP da Itália de 1950

Gráfico do site gpexpert.com

Patrocinador:

Deixe uma Resposta