Após triunfar por dois anos seguidos Verstappen espera um forte desempenho na Áustria mas considera Mercedes favorita

O GP da Áustria nos dias 3, 4 e 5 de julho irá marcar o inicio da temporada 2020 da F1. Depois de 4 meses sem a F1 ir às pistas, a categoria irá retomar as atividades de GP, mas agora o distanciamento e as cautelas de higiene farão parte da rotina da F1. Os dois últimos GPs da Áustria foram marcados pela imprevisibilidade. Max Verstappen triunfou nas duas últimas corridas de casa da equipe mesmo sem ter largado na pole position.

Para este ano vale à pena ficar de olho na previsão do tempo, o início da Fórmula 1 na Áustria pode ser afetado pelas chuvas no início do fim de semana. O clima quente teve um papel importante no ano passado e premiou Max Verstappen e Red Bull.

Ao contrário dos triunfos de Max Verstappen nos dois últimos anos, Spielberg persegue à equipe Mercedes com as altas temperaturas do circuito, o que a faz sofrer com temperaturas operacionais da unidade operacional e o gerenciamento de pneus.

Outra história será anunciada no final de semana, pois o projeto W11 não apenas introduziu soluções revolucionárias entre a suspensão traseira e o DAS, mas também cuidou dos limites de refrigeração da unidade de potência. Assim, os favoritos permanecem.

A idéia de assinar um início imediatamente vencedor em casa, pole e vitória, com a chance de se repetir 7 dias depois, Max trocaria com prazer: “Eu preferiria ganhar o campeonato. Eu realmente não penso em um hat-trick, a coisa mais importante para mim é ter um carro competitivo e fazer o meu melhor.

“Eu nunca me considerei o favorito porque, na realidade, quando você olha para a pista, ela não é a melhor para nós, mas no ano passado foi muito quente. Fomos muito bons em resfriar o motor, não espero uma vitória fácil, acho que a Mercedes ainda será muito forte. Quem sabe onde a Ferrari estará, então não, será uma luta muito dura pela vitória. “

 O piloto holandês também disse que era estranho passar tanto tempo longe das pistas e que isso não acontecia desde os tempos de kart, o piloto da Red Bull também espera poder lutar pelo campeonato e tirar o máximo do seu RB16.

“Finalmente estamos de volta aos trilhos. Pena que não há fãs. Sinto-me mais em forma do que na Austrália, faremos todo o possível para competir pelo campeonato”. Seguiu.

“Era realmente estranho não poder dirigir por tanto tempo, é o período mais longo desde que comecei a andar de kart. Felizmente, tenho um simulador em casa e já o usei bastante. Mas agora estou feliz por poder voltar às corridas. Será estranho correr sem os fãs, mas eu realmente quero voltar no carro e ser o mais rápido possível. Eu tive cerca de seis semanas de treinamento completo e me sinto ainda melhor do que antes da Austrália”. Completou.

Patrocinador:

Deixe uma Resposta