CEO da Ferrari diz que equipe investirá “o que for necessário” em 2020

Louis Camilleri afirma que foco é garantir que grupo trabalhe unido e que escuderia investirá o que for necessário

O CEO da Ferrari, Louis Camilleri, afirmou que a escuderia italiana está preparada para investir pesado na Fórmula 1 em 2020, já que se espera que este seja um ano “significantemente mais caro” do que os anteriores. Ele ainda disse não estar “exageradamente” preocupado com o possível aumento salarial dos pilotos e garantiu que o foco do time deve ser trabalhar unido.

Camilleri afirmou que 2019 marcou um recorde de faturamento na venda de carros da empresa, que incluiu o sucesso do lançamento da SF90 Stradale híbrida, o que causou “vários rostos sorridentes” em Maranello.

Ele afirmou que o grande retorno financeiro também impulsionariam o programa de F1, porque “somos uma só empresa e o negócio de carros financia o negócio de Mattia”.

“Estamos preparados para investir”, disse Camilleri. “E, felizmente, a indústria automobilística pode apoiar esses investimentos, não apenas em termos de pessoas, mas também em termos de infraestrutura”.

Um desses investimentos é a construção de um novo simulador, que já está em andamento. Esse projeto coincidirá com o desenvolvimento do carro de 2020, para o qual a Ferrari revisou o motor e o design aerodinâmico, além da preparação para 2021.

A F1 introduzirá mudanças técnicas abrangentes em 2021, juntamente com uma série de outros novos elementos, incluindo um teto de gastos – o que reduzirá o orçamento das equipes para US$ 175 milhões (aproximadamente R$710 milhões), mas só depois que o desenvolvimento do carro de 2021 estiver concluído.

“Sim, será significativamente mais caro”, disse Binotto quando questionado, sobre o impacto no orçamento da equipe no próximo ano”.

“O orçamento que teremos disponível será o que for necessário. Certamente, o número de projetos que temos em paralelo é significativamente maior comparado ao passado”.

“Todos nós começamos muito cedo a trabalhar no carro de 2021. Então, sim, haverá um significativo orçamento extra no próximo ano, não apenas financeiro, mas também de pessoas extras, que serão necessárias para executar os programas. Acho que é uma situação a ser gerenciada neste momento”.

Embora os orçamentos tenham que ser reduzidos após 2020, os salários dos pilotos estão isentos do limite geral. Isso levou a sugestões de que os pilotos poderão exigir salários maiores, principalmente se a revisão das regras for bem-sucedida e os carros ficarem mais próximos uns dos outros.

No entanto, quando questionado se estava preocupado com a chance em potencial dos salários dos pilotos dispararem, Camilleri disse: “Não estou exageradamente preocupado”.

A Ferrari já havia aumentado seu orçamento para 2019, primeiro ano de Binotto no comando, apenas para se decepcionar com mais uma derrota para a Mercedes. No entanto, Camilleri disse estar muito satisfeito com o que viu do novo diretor da equipe.

“Precisamos de paciência, precisamos de estabilidade e serenidade”, disse ele. “Se você olhar para a história da Fórmula 1, quando as equipes se saíram muito bem, seja McLaren, Ferrari nos bons velhos tempos, Red Bull ou hoje a Mercedes, há algo em comum: havia muita estabilidade dentro da equipe”.

“Eles aprenderam a trabalhar muito bem juntos. Isso é algo em que estamos muito focados. Mattia gasta muito tempo para garantir que tenhamos uma equipe coesa e unida”.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta