Chefe da AlphaTauri revela o custo de cada corrida perdida na F1


Com a Fórmula 1 paralisada pela pandemia da Covid-19, as equipes estão enfrentando uma grande perda de renda, pela queda no dinheiro vindo dos direitos comerciais.

O chefe da AlphaTauri, Franz Tost, colocou seu departamento de contabilidade para tentar descobrir quanto que as corridas perdidas estão impactando a equipe italiana, e há uma perda séria para cada evento não realizado.

Tost disse: “Os contratos são feitos de uma maneira que perdemos renda proporcionalmente a cada corrida não feita, porque o valor acordado vai sendo reduzido. Se não corrermos em um GP, o custo estimado é entre um milhão e meio e dois milhões de euros”.

Tost acredita que o fechamento atual é possível no curto prazo, mas a situação pode se tornar dolorosa para as equipes se as corridas não retornarem no verão europeu.

“Se começarmos a correr em julho, sairemos apenas com ferimentos leves”, explicou. “Se esse não for o caso, as coisas começarão a se tornar críticas. Se não tivermos nada no ano, será muito crítico. Se não tivermos nenhuma renda no ano, será um desastre econômico”.

As equipes da F1 estão em conversas com a FIA e a Liberty para reduzir o teto orçamentário que será introduzido no próximo ano. Tost deixou claro que a plataforma financeira da F1 precisa mudar para que o esporte seja mais sustentável a longo prazo.

“Nesse momento, não podemos garantir que tudo seguirá normal”, disse. “É impossível continuar gastando nesse nível. Um exemplo: ainda é necessário termos tantas pessoas trabalhando no túnel de vento como temos agora?”

Ele acrescentou: “Precisamos ver quantas corridas teremos, qual será a renda e como ficaremos com os patrocinadores. Eles vão ficar ou sair? Qual é a situação econômica? Só aí podemos falar do teto”.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta