Chefe da Mercedes, Wolff compra ações da Aston Martin

Toto Wolff realizou uma compra privada de ações da Aston Martin após o investimento de Lawrence Stroll, dono da Racing Point e pai do piloto Lance Stroll.

Stroll ‘pai’ é amigo de Wolff e sua equipe tem uma estreita relação com a Mercedes, como uma de suas equipes de clientes.

Embora Wolff tenha negado repetidamente que assumirá um papel formal na fabricante britânica, em meio a especulações de que ele poderia se tornar CEO, a compra de ações como investimento estava há muito tempo sobre a mesa.

Esse investimento pareceria incomum, considerando seu papel na Mercedes, e a Aston Martin sendo a principal patrocinadora da Red Bull Racing, mas a ‘empresa-mãe’ da fabricante alemã de carros é a Daimler, que também é acionista da Aston Martin, portanto não há conflito de interesses.

A Daimler fechou um acordo em 2013 para receber o que era então 5% das ações (sem direito a voto) em troca de fornecer a sua próxima geração de carros com motores de alto desempenho e componentes eletrônicos.

A Daimler agora é o maior fornecedor da Aston Martin e, como confirmado no mais recente prospecto da Aston Martin na semana passada, vetou qualquer futuro parceiro de investimento.

Entende-se que Toto comprou uma participação de 4,77% na Aston Martin que, após uma questão de direitos, valerá 0,95% da empresa na próxima semana.

Um porta-voz da Mercedes disse: “É um investimento financeiro e a parceria e o papel executivo da Toto com a Mercedes não são afetados pela transação”.

Wolff está atualmente conversando com a Mercedes sobre a extensão de seu contrato para permanecer com a montadora alemã.

Embora ele possa alterar as especificidades de seu papel, parece quase certo que ele permanecerá a bordo no futuro próximo.

Falando à mídia austríaca recentemente, Wolff disse: “Estou no oitavo ano agora. Eu amo esse time. No entanto, estou um pouco surpreso com a mudança de eventos durante o inverno e com o comportamento de cada pessoa.”

“Claro, isso também tem a ver com a minha decisão sobre o que fazer a partir de 2020. Mas eu sou e continuarei sendo chefe da Mercedes Motorsport e chefe da F1, e nada mudará no curto prazo.”

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta