Empresário de Schumacher critica alemão por volta à F1: “Desnecessário”

O heptacampeão Michael Schumacher surpreendeu o mundo do automobilismo em 2009 quando anunciou seu retorno às pistas, como piloto da Mercedes, na volta da montadora alemã à Fórmula 1. Mas sua performance passou muito longe daquela que fez história entre 1992 e 2006.

Nos três anos de seu retorno, entre 2010 e 2012, Schumacher subiu apenas uma vez ao pódio, com um terceiro lugar no GP da Europa de 2012.

Para Willi Weber, que foi empresário do alemão durante a maior parte de sua carreira, o grande problema foi que o heptacampeão não conseguiu adaptar seu estilo de pilotagem aos carros daquele período, que haviam passado por grandes modificações entre 2006 e 2010.

Quando Schumacher aposentou pela primeira vez, os carros eram mais leves e curtos, além de usar pneus com sulcos. Em sua volta, os modelos já eram mais longos e pesados, devido ao tamanho do tanque de gasolina, após a proibição do reabastecimento, e passaram a usar pneus slick.

“Michael tinha esse acerto especial de carro para o seu estilo, e não conseguiu isso na Mercedes”, disse Weber ao jornal Kolner Express. “Os carros mais novos haviam se desenvolvido para uma direção diferente, e Michael não conseguia influenciar a tecnologia, como fez na Benetton e na Ferrari”.

“Isso é verdade, mas depois que Ross Brawn não conseguiu melhorar o carro muito depois de 2009 e Nico Rosberg foi de repente o mais rápido. Michael não conseguiu compensar isso. Era uma tecnologia e geração de pilotos diferentes, apesar de Michael estar mais em forma do que nunca”.

Weber ainda revelou que tentou convencer Schumacher que não era uma boa ideia voltar à F1 após o convite da Mercedes. Mas ele acredita que a presença de Schumacher foi importante na construção da equipe.

“Michael falhou na Mercedes. Se ao menos ele tivesse meu ouvido… Ele tentou de tudo e, junto com Rosberg, eles aceleraram o carro para que a Mercedes pudesse ser campeã mundial tantas vezes. Mas voltar ainda era desnecessário”.

Cerca de um ano após sua segunda aposentadoria, em dezembro de 2013, Schumacher sofreu o acidente que causou graves lesões cerebrais. Mesmo sendo uma pessoa muito presente na vida do alemão, Weber nunca teve a permissão para visitá-lo desde então.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta