F1 2020 pode ficar sem GP do Brasil e ter prova em Indianápolis

Após a divulgação da primeira parte do calendário de 2020 da Fórmula 1, com oito provas confirmadas na Europa, a revista alemã Auto Motor Und Sport publicou nesta quinta-feira que o GP do Brasil pode ficar de fora da temporada deste ano da F1.

Suposto palco de algumas das últimas provas de 2020, o continente da América enfrenta problemas para garantir corridas neste ano. Embora os organizadores das etapas de Brasil e México tenham manifestado a intenção de realizar os eventos nas datas pré-estabelecidas – e com público –, a covid-19 é um grande obstáculo: os dois países enfrentam uma grave crise por causa da pandemia do novo coronavírus.

Entretanto, por meio de assessoria, a organização do GP do Brasil fez questão de lembrar que “existe um contrato com a FOM (Formula One Management, entidade que gerencia a categoria máxima do automobilismo mundial) e só um ‘motivo de força maior’ poderia torná-lo sem efeito. De acordo com as previsões e com o que já ocorreu na China e na Europa, até novembro a pandemia já deverá ter passado”.

Nos Estados Unidos, a situação da saúde pública também é preocupante. Entretanto, as principais ligas esportivas do país estudam dar ou já deram início a um retorno seguro às atividades, ainda sem público. É o caso das principais categorias norte-americanas de automobilismo: a NASCAR, ‘reativada’ desde maio, e a IndyCar, que dará início à temporada 2020 neste sábado, dia 6, no Texas. Tendo tudo isso em vista, o retorno de Indianápolis à F1 é cada vez mais cogitado.

Neste sentido, pesa o fato de que o autódromo de Austin não está em condições financeiras ideais para realizar o GP dos Estados Unidos neste ano, o que abriria caminho para o traçado misto do circuito de Indianápolis, que já recebeu provas da F1 no passado – a última em 2007, com vitória do britânico Lewis Hamilton, então piloto da McLaren. Com eventos da Indy confirmados em julho, agosto e outubro de 2020, o local estaria disponível para a F1 após tais datas.

Hockenheim, Mugello e Ímola no páreo

Segundo o Auto Motor Und Sport, Hockenheim (Alemanha), Mugello e Ímola (Itália) são alternativas para receber a F1 após setembro. No caso italiano, há uma prova confirmada em Monza neste ano, mas o circuito das cercanias de Milão não deve receber mais de um GP em 2020.

Quem estaria disposto a receber uma rodada dupla nesta temporada, porém, é o autódromo de Sochi, na Rússia. Já Hockenheim vem sendo cogitado há alguma semanas. Um dos diretores da pista alemã, Jochen Nerpel, falou recentemente sobre ter uma prova da F1 em outubro.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta