F1 condena comentários de Bernie Ecclestone sobre o racismo

Após ex-chefão da categoria, Bernie Ecclestone dizer em um programa americano, que: “muitas vezes afro-americanos são mais racistas que os brancos”. F1 solta nota oficial em que repudia declaração. A declaração confirmou que Ecclestone não estava mais associado à Fórmula 1, e que de qualquer forma, sua posição honorária como ‘presidente emérito’ expirou no primeiro dia do ano.

“Em um momento em que a unidade é necessária para combater o racismo e a desigualdade, discordamos completamente dos comentários de Bernie Ecclestone cujas palavras não têm lugar na Fórmula 1 ou na sociedade. Ecclestone não desempenhou nenhum papel na Fórmula 1 desde que deixou nossa organização em 2017, seu título de Presidente Emérito expirou em janeiro de 2020.”

Nesta semana, a F1 lançou uma fundação e uma Força-Tarefa para melhorar a igualdade e a inclusão no automobilismo como parte de sua nova iniciativa We Race As One.

Em um post no Story do Instagram na noite de sexta-feira 26, Hamilton disse que era “tão triste e decepcionante” ler os comentários de Ecclestone.

“Bernie está fora do esporte e de uma geração diferente, mas é exatamente isso que está errado, comentários ignorantes e sem instrução que nos mostram até onde nós, como sociedade, precisamos ir antes que a igualdade real possa acontecer. Segue Hamilton.

“Faz todo o sentido para mim agora que nada foi dito ou feito para tornar nosso esporte mais diversificado ou para abordar os abusos raciais que recebi ao longo da minha carreira. Se alguém que pratica o esporte há décadas tem uma falta de compreensão profunda sobre questões roteadas com as quais lidamos os negros todos os dias, como podemos esperar que todas as pessoas que trabalham com ele entendam. Tudo começa no topo “, disse Lewis Hamilton.

Lewis, também anunciou que está montando a Comissão Hamilton, tendo como objetivo de melhorar a diversidade na indústria automobilística.

Hamilton tem sido uma voz poderosa em apoio ao movimento Black Lives Matter e prometeu que: “não pararei de pressionar para criar um futuro inclusivo para o nosso esporte, com oportunidades iguais para todos. Criar um mundo que ofereça oportunidades iguais para as minorias”.

Patrocinador:

2 Respostas

  1. Lucas

    Muito bacana a Formula 1 começar a trabalhar essa inclusão social/racial em sua política e seus cockpits. O que me deixa preocupado, como sempre, é o domínio do binarismo e o totalitarismo por parte daqueles que dizem defender a justiça. O Berne falou bobagem, mas e aí? Vamos crucificar o cara pq o mesmo disse que os negros são até mais racistas que brancos? Por mais idiota que seja, todos deveriam ter a liberdade de dizer o que pensa (desde q não seja crime) sem ser apedrejado em praça pública. Hoje você taca a pedra, amanha tu fala uma merda e você é o apedrejado. A sociedade precisa de férias, estão todos histéricos e muito cheio de ideologias cegas.

Deixe uma Resposta