Haas anuncia dupla de equipe sem mudanças para 2020

Grosjean, mesmo com ano de altos e baixos, será companheiro de equipe Kevin Magnussen em time norte-americano no próximo campeonato

A Haas anunciou nesta quinta-feira que Romain Grosjean seguirá na equipe em 2020. Desta forma, a dupla da equipe norte-americana segue inalterada, já que Kevin Magussen já estava garantido.

Na última semana, o chefe da equipe, Gunther Steiner, havia dito que a decisão seria tomada até o fim de semana do Grande Prêmio de Singapura
Grosjean, que correrá pelo quinto ano na Haas, celebrou a renovação: “Sempre afirmei que era meu desejo permanecer na Haas F1 Team e continuar desenvolvendo as realizações da equipe”,

“Estou aqui desde o início e vi o trabalho que Gene Haas e Gunther Steiner colocaram na equipe para torná-la competitiva. Naturalmente, estou muito feliz por continuar fazendo parte disso. Terminar em quinto no campeonato de construtores a última temporada, apenas no terceiro ano de competição, foi algo muito especial.”

“Tivemos nossos desafios nesta temporada, mas usaremos a experiência do ano passado e deste ano para avançar para 2020. Estou ansioso para trabalhar com Kevin e toda a equipe e continuar nossa jornada juntos”.

Gunther Steiner também falou sobre a opção do time: “A experiência e a necessidade disso têm sido uma das pedras angulares da Haas F1 Team. Com Romain Grosjean e Kevin Magnussen competindo pela equipe em 2020, continuamos a ter uma formação de pilotos que nos oferece uma plataforma sólida para continuar nossa carreira. crescimento.”

“A compreensão de como trabalhamos em equipe e o conhecimento do que eles podem oferecer ao volante nos proporcionam uma continuidade valiosa e uma base sólida para continuarmos construindo nossa equipe.”

“Está sendo um ano difícil para nós em 2019 com a flutuação no desempenho do VF-19, mas nossa capacidade de aproveitar nossas experiências combinadas nos ajudará a aprender, melhorar e avançar como uma unidade em 2020”, finalizou Steiner.

A EXPLICAÇÃO DO CHEFE PELA ESCOLHA EM GROSJEAN
Guenther Steiner, Team Principal, Haas F1, in the Team Principals Press Conference

Guenther Steiner, Team Principal, Haas F1, in the Team Principals Press Conference

Photo by: Andy Hone / LAT Images

A escolha óbvia para a Haas, para muitos analistas, era Nico Hulkenberg. Gunther Steiner explicou a escolha.

“Foi por pouco, você sabe, porque ambos são pilotos muito bons e espero que Nico fique na F1. Mas no final decidimos ficar com o Romain. Ele está na equipe há quatro anos, conhecemos seus altos e baixos. Sabemos que em um dia bom ele é um piloto muito bom. Ele conhece muito bem a equipe.”

“O maior motivo é que o nosso carro este ano não está funcionando como queremos – o que no final não tem nada a ver com os pilotos que temos no momento. É o carro, estamos muito conscientes disso.”

“Agora, trocando de piloto, não sei se isso nos ajudaria a melhorar o carro. Poderia, mas também não poderia. Porque o novo cara não saberia por onde começar.”

“Romain foi uma grande parte para entender por que estamos errados com o carro no momento. Ele foi uma grande ajuda. E não queríamos ter mais incógnitas ou riscos.”

Questionado pelo Motorsport.com se havia outros fatores que opunham Hulkenberg além da continuidade do piloto, Steiner disse: “O principal era esse. Queremos dar esse passo e introduzir um novo elemento para a equipe? Essa foi a principal razão. por que ficamos com Romain. Porque sabemos o que temos. ”

PROBLEMA DA HAAS COM PILOTOS

A decisão de manter a dupla de pilotos chega a surpreender. Desde o ano passado, Grosjean apresenta oscilação. Em 2018, o francês foi o 14° com 37 pontos, enquanto Magnussen terminou em nono, com 56. O time norte-americano foi o quinto no Mundial de Construtores, mas a análise geral é que poderia ter brigado com a Renault pela quarta colocação.

Os erros de Grosjean foram tantos, que o tema acabou sendo destaque na primeira série da Fórmula 1 no Netflix, sucesso mundial de crítica.

Neste ano a equipe caiu bastante. Atualmente, ocupa apenas a nona posição entre as dez equipes que participam do campeonato. Só supera a Williams, que está bem atrás de todos os adversários. Enquanto o dinamarquês soma 18 pontos, Grosjean tem 8.

Além disso, ambos já se envolveram em acidentes, o que é considerado inadmissível em qualquer time, ainda mais em um que qualquer ponto faz diferença.

SITUAÇÃO HULKENBERG
Nico Hulkenberg, Renault F1 Team

Nico Hulkenberg, Renault F1 Team

Photo by: Simon Galloway / Sutton Images

Agora os olhos se voltam a Nico Hulkenberg, que está ameaçado de ficar sem um cockpit para 2020. Ele completará a atual jornada com a Renault, mas será substituído por Esteban Ocon, que se desligará da Mercedes, do papel de piloto de testes.

O alemão sempre foi tratado como potencial campeão mundial, mas ostenta a marca ruim de mais GPs sem nunca ter subido ao pódio. Ele estreou em 2010 como companheiro de Rubens Barrichello na Williams.

A opção em que ele teria mais chances é na Alfa Romeo, caso o time não aposte em um segundo ano para Antonio Giovinazzi, que faz temporada apenas regular.

E PIETRO FITTIPALDI?

O brasileiro, neto do bicampeão Emerson, é piloto de testes da equipe. Ele esteve na disputa por vaga, embora nesse momento não disponha dos pontos necessários para a obtenção da super-licença.

O trabalho de Pietro é muito elogiado pelo time, mas a falta de experiência pesou contra ele na hora da decisão. Gunther Steiner foi categórico ao afirmar que um time na posição da Haas não pode apostar em estreantes.

Fonte Motorsport

 

Patrocinador:

Deixe uma Resposta