Kvyat fala sobre relacionamento com Marko: “Me ligava falando que se não melhorasse estava fora”

Helmut Marko é uma das pessoas mais emblemáticas do paddock da Fórmula 1. O ex-piloto austríaco gerencia hoje a Academia da Red Bull e é consultor do programa de F1. Conhecido por suas decisões polêmicas, como as trocas de pilotos no meio da temporada, nem todos veem o trabalho de Marko como “ditatorial” e, entre eles, está o piloto da AlphaTauri, Daniil Kvyat.

O russo é notoriamente um dos mais impactados pelo modo como Marko lida com os pilotos da Red Bull. O russo perdeu sua vaga na equipe principal para Max Verstappen após três provas em 2016 e, no ano seguinte, perdeu o lugar na Toro Rosso no meio do campeonato.

Em entrevista ao podcast oficial da F1, Kvyat falou sobre seu relacionamento com Marko e como ele analisa o gerenciamento que o austríaco faz na Red Bull.

“Ele sempre conversou com nós”, disse Kvyat. “Mesmo quando éramos adolescentes e, mesmo naquela época, ele sempre pedia minha opinião: ‘Você tem essas escolhas para o próximo ano. O que acha? Se sente pronto para ir onde?’. Eu sempre negociava com ele e a Red Bull desde que eu tinha 15 anos”.

Uma das grandes dificuldades, segundo Kvyat, é de entender o que está passando na cabeça de Marko, mas deixando livre para decidir seu futuro.

“É muito difícil entender o que passa em sua cabeça. Ele é um personagem interessante, único, difícil. Ele me deixava correr em campeonatos mais fáceis, mas ele esperava que eu vencesse, sem ter competição. E se não ganhasse, estava fora. Então sempre quis ir para o mais difícil”.

“Eu lembro de uma vez que ele me disse que eu teria que fazer mais um ano de Fórmula Renault. Fiquei bravo, porque queria ir para a Fórmula 3. Mas ele disse que seria melhor para minha confiança ganhar mais corridas. E ele estava certo. De vez em quando precisamos consolidar nossa experiência”.

A pressão de Marko não é algo restrito às categorias principais como a F1. Kvyat conta que desde a sua adolescência ele recebia ligações do chefe cobrando resultados.

“De vez em quando ele me ligava pra falar ‘se você não ganhar a próxima corrida, não melhorar, você está fora’. Esse era o tipo de ligação que eu recebia quando tinha 15 anos”.

“Tinha que me adaptar a isso, e foi isso que me tornou melhor do que era antes. Eu me lembro dessas ligações, claramente. ‘Olha, isso não é bom. Você precisa melhorar’, e desligava o telefone. Quando eu melhorava, ele me dizia pra continuar assim. Esse é um resumo da minha carreira, se torna algo normal depois de algum tempo”.

Mas, quando perguntado se ele agradece à Marko por tudo conquistado em sua carreira mesmo com isso, Kvyat rapidamente disse que sim.

“Certamente. Quando falo dessa pressão, não estou falando de modo negativo, e sim positivo. O que ele me deu, foi resistência mental, uma das melhores possíveis, e isso é importante, principalmente nas categorias de base. Hoje vejo isso como algo normal”.

O russo ainda disse que, apesar de ser um piloto, Marko nunca foi muito de dar dicas de pilotagem.

“Ele sempre fala com os engenheiros antes. E se existe um problema óbvio, como aquecimento de pneus, ele sempre vinha falar: ‘Esse é o seu maior problema, vamos trabalhar nisso nos próximos testes’. Mas ele nunca foi de dizer faça isso ou faça aquilo. Ele sabe exatamente qual é o seu trabalho e o dos engenheiros. Esse é outro ponto positivo dele”.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta