Mercedes supera os 1000 cavalos em Silverstone com Honda sendo a segunda com maior potência no grid

A equipe Mercedes vem dominando a temporada 2020 vencendo todas as corridas e marcando poles em todas as etapas até aqui disputadas. O W11 é um dos carros mais dominantes dos últimos anos, além de ser o melhor carro do grid, o W11 conta com um motor super potente que supera a casa dos 1000 cavalos em potência.  

No GP em Silverstone, a Mercedes dominou a classificação marcando a primeira fila com uma margem superior a 1 segundo para o terceiro colocado. Após a classificação, surgiram rumores de que o W11 estaria contando com a presença de mais de 1000 cavalos para a parte final do treino.

Segundo a imprensa italiana, o motor do carro de Lewis Hamilton chegou a entregar 1022 cavalos de potência no mapa mais agressivo de classificação. Já no motor de Valtteri Bottas, os gráficos detectaram 1020 cavalos de potência, 2 a menos do que Lewis.

Na primeira etapa do campeonato em Spilberg, na Áustria, a Mercedes finalizou a corrida com 11 quilos de combustível no tanque mostrando que o motor poderia ira além, e de que, se preciso estariam preparados para utilizar uma estratégia mais agressiva onde consumiria mais combustível. O mesmo aconteceu em Silverstone, o que mostra que a equipe está sobrando no grid em relação a seus rivais.

Segundo a imprensa italiana, a equipe Ferrari estaria com 42 cavalos a menos do que a rival alemã. A Renault estaria com uma defasagem de 37 cavalos para a Mercedes. Já a Honda que vem um forte crescimento, é a equipe com o segundo motor mais potente do grid com apenas 28 cavalos de potência a menos do que a equipe Mercedes.

Patrocinador:

Deixe uma Resposta