Mídia alemã diz que Wolff deixará chefia da Mercedes no fim de 2020

Nos últimos meses, começaram a surgir rumores de que Toto Wolff poderia estar de saída da Mercedes. O contrato do austríaco também está no último ano, assim como os pilotos da equipe de Fórmula 1 e, no momento, a negociação está parada devido à pandemia. Porém, segundo informações vindas da imprensa alemã, Wolff pode estar de saída da chefia da Mercedes no final de 2020.

A informação que, caso confirmada, pode mexer bastante com o cenário da categoria, foi publicada pelo site F1 Insider, em conjunto com a revista Auto Bild e a emissora de TV Sport1. Porém, Wolff não estaria planejando deixar a Mercedes, apenas de seu posto de chefia no departamento de F1.

O austríaco, que comanda a Mercedes desde 2013, detém 30% das ações da equipe, sendo que o resto pertence à Daimler, empresa-mãe da montadora. A equipe, por outro lado, ainda não teria apontado um possível nome para assumir o cargo de Wolff.

Toto é o último nome restante da tríade que catapultou a Mercedes para a ponta do grid a partir de 2014. Os outros dois membros desse trio são Paddy Lowe, que foi trocado com a Williams por Valtteri Bottas quando Nico Rosberg anunciou sua aposentadoria da F1 e Niki Lauda, que morreu há um ano.

Segundo a publicação, essa saída de Toto Wolff da chefia poderia ter consequências maiores, envolvendo inclusive Lawrence Stroll e a Aston Martin. A Daimler, que é dona de 5% das ações da montadora britânica, poderia aumentar sua participação na Aston, em troca de parte das ações da área esportiva da Mercedes, que passaria a ser de Stroll, o que tornaria ele e Wolff nos acionistas majoritários da equipe de F1.

Essa situação poderia ajudar a Mercedes de dois modos diferentes: ao deixar o controle majoritário da equipe, poderia focar nos desafios econômicos que a pandemia trará à montadora, além de manter a equipe intocada, sem a necessidade de demitir funcionários, podendo continuar como equipe de fábrica.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta