Perfil do Piloto

Kimi Räikkönen

7 Alfa Romeo

País :Finlândia
Cidade :Espoo
Idade :39 anos-17/10/79
Altura :1.75m
  • 1 (2007)Campeonatos
  • 294 (291 largadas)Corridas
  • 21Vitórias
  • 18Pole Positions
  • 46Voltas Rápidas
  • 103Pódios
  • 04 fevereiro 2019Atualizado

Kimi_Räikkönen

Carreira

Início

Räikkönen nasceu em Espoo. Teve uma longa linha de sucesso no kart a partir dos seus 10 anos de idade. Sua primeira corrida fora da Finlândia foi em Mônaco, aos 15 anos de idade. Durante a corrida, a barra de direção quebrou, mas Räikkönen continuou correndo, informando seu mecânico chacoalhando freneticamente o volante ao passar pela reta principal do circuito. A corrida seguinte de Räikkönen em Mônaco também foi memorável; foi atirado para o lado errado da área de escape numa colisão já na primeira volta, mas continuou dirigindo até que o asfalto acabasse. Confiante, levantou o kart e o colocou de volta na pista e continuou a correr. Seu mecânico achou que Räikkönen estava fora da prova, mas ele disputou a corrida e terminou em terceiro. Em 1998 ele foi o primeiro no Campeonato Nórdico de Kart em Varna, na Noruega. Em 1999, Räikkönen ficou em segundo no Campeonato Europeu de Formula Supor A, também competindo na Copa Europeia de Fórmula Ford. Com vinte anos, venceu a série de inverno do Fórmula Renault Inglesa de 1999, vencendo as primeiras quatro corridas do ano. Em 2000, venceu sete das dez provas do Fórmula Renault Inglesa. Combinados, venceu 13 das 23 corridas - uma taxa de 56% de vitórias.

Fórmula 1

Os bons resultados na Formula Renault chamaram a atenção de Peter Sauber. Assim, o piloto fez alguns testes com bons resultados no circuito italiano de Mugello e Sauber decidiu contratá-lo como piloto reserva em 2000, o que foi o início de sua carreira na F1.

Sauber

Räikkönen, com apenas vinte e um anos, iniciava como piloto titular sua carreira na Fórmula 1 em 2001. Com apenas vinte três corridas de monolugares no seu currículo, ele conseguiu a licença especial da FIA. Logo na primeira prova do campeonato alcançou o sexto lugar.

McLaren

Em 2002, foi contratado pela equipe McLaren onde correu até 2006 substituindo o seu compatriota e bicampeão do mundo Mika Häkkinen. Foi vice-campeão da temporada de 2003 com noventa e um pontos, ficando apenas a um ponto de impedir o hexacampeonato de Michael Schumacher.

Em 2005, foi novamente vice-campeão com cento e doze pontos e sete vitórias, sendo Fernando Alonso campeão. Foi considerado por críticos de automobilismo e revistas o piloto mais rápido e melhor da temporada. Em 2006, após um carro mal construído pela McLaren, Räikkönen não conseguiu nenhuma vitória e terminou o ano em quinto lugar com sessenta e cinco pontos.

Ferrari

Em 2007, Räikkönen foi o primeiro piloto desde Nigel Mansell, em 1989, a estrear pela Ferrari com uma vitória. Ele ganhou o Grande Prêmio da Austrália, que abriu a temporada de 2007. E, após dois vice-campeonatos, o finlandês sagrou-se campeão mundial em 21 de outubro de 2007, vencendo o Grande Prêmio do Brasil, no Autódromo de Interlagos.

Räikkönen era o que tinha menores chances dentre os três pilotos que disputavam o campeonato: Lewis Hamilton e Fernando Alonso eram os mais cotados a levar o título, já que Kimi precisaria de uma combinação de resultados. Para se tornar campeão mundial de pilotos em 2007, Räikkönen contou com os erros cometidos pelo inglês Lewis Hamilton na corrida, que logo na segunda curva da corrida perdeu o controle do carro, chegando a ficar na décimo oitavo colocação, e pela estratégia adotada pela Ferrari, que fez com que o filandês assumisse a liderança da prova, que era do brasileiro Felipe Massa na volta de número cinquenta e dois.

Com a vitória, Räikkönen conquistou seu primeiro título do campeonato mundial de pilotos e a consolidação da Ferrari como a líder mundial de construtores da Fórmula 1 em 2007. Com seis vitórias na temporada, mais do que seus rivais Fernando Alonso e Lewis Hamilton da McLaren (quatro vitórias cada um) e de que seu companheiro de equipe Felipe Massa (três), o campeonato terminou com cento e dez pontos para Räikkönen, com a diferença de apenas um ponto entre Hamilton e Alonso, que terminaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

Já em 2008 não alcançou muito sucesso; seu carro, segundo sua equipe, não se adaptava ao estilo de Räikkönen. Venceu apenas duas corridas, o GP da Malásia e da Espanha, fazendo 75 pontos, e ficando em 3° lugar na temporada, muito abaixo do esperado. Porém, Räikkönen, foi o recordista em voltas mais rápidas, sendo avaliado como o piloto mais rápido da temporada, e chegando a entrar para a história da Fórmula 1 por conquistar tantas voltas rápidas em uma temporada e ao longo de sua carreira.

No Grande Prêmio da Bélgica de 2009, disputado em 30 de agosto, Kimi conquistou sua primeira vitória na temporada e a décima oitava na carreira.

WRC

Em 4 de dezembro de 2009, após frustradas negociações com McLaren e com Mercedes, a equipe oficial da Citroën no WRC (World Rally Championship) anunciou a contratação do finlandês para a disputa do campeonato mundial de 2010 pela equipe "junior".

Essa não foi a primeira experiência de Kimi na categoria. No mesmo ano de 2009, ele disputou o Rally da Finlândia, a bordo de um Fiat Punto S2000 da equipe de Tommi Makkinen, chegando a estar em terceiro lugar de sua categoria (N4), quando sofreu um acidente que impossibilitou a conclusão da prova.

Em 2011, Räikkönen disputa a temporada do WRC com seu time próprio, a ICE 1 Racing, dirigindo um Citröen DS3 WRC. Ele completou o Rali da Suécia na oitava posição e não disputou o Rali do México. Na sequência, terminou em sétimo no Rali de Portugal e em sexto no Rali da Jordânia, deixando de disputar o Rali da Sardenha.

NASCAR

Em 2 de abril de 2011 o finlandês assinou um acordo com a equipe de Kyle Busch para disputar parte da temporada 2011 da NASCAR Truck Series, que é o terceiro campeonato em importância na NASCAR. Em sua estreia, Räikkönen terminou a prova de Charlotte na décima-quinta posição.

Retorno à Fórmula 1

Lotus

Em novembro de 2011, foi anunciado o retorno de Kimi à Fórmula 1, com a confirmação da sua contratação pela Lotus Renault.

No Grande Prêmio do Bahrein, quarta etapa do campeonato, o finlandês voltou ao pódio, chegando em segundo lugar. A sua atuação chegou a ser elogiada pelo tricampeão mundial Jackie Stewart.

No Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2012, Räikkönen voltou a vencer uma corrida na categoria, após o abandono do líder Lewis Hamilton. Esta foi a primeira vitória da Lotus após sua volta a F1, e a primeira vitória em décadas, desde que a Lotus se retirou da F1, na década de 1990.

Ferrari

Em 11 de setembro de 2013, a Ferrari anunciou oficialmente o retorno de Räikkönen à equipe, por duas temporadas, a partir de 2014, no lugar de Felipe Massa. Em 8 de julho de 2016 a equipe ampliou seu vínculo com o piloto para 2017 e posteriormente até o fim de 2018.

No Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2018 obteve sua vigésima primeira vitória e se tornou o finlandês que mais venceu na Fórmula 1, quebrando ainda duas outras marcas: de maior intervalo entre as vitórias de Grandes Prêmio: cento e quinze corridas (2013 a 2018) e de maior diferença entre a primeira e a última vitórias na carreira: quinze anos e 212 dias.

Alfa Romeo

Em 11 de setembro de 2018 a equipe Ferrari revelou oficialmente que não renovaria seu vínculo, e que Charles Leclerc ocuparia sua vaga a partir de 2019. Em seguida, em sua conta na rede social Instagram, Kimi anunciou seu retorno a Sauber (que passou a se chamar Alfa Romeo Racing no início de 2019) também a partir de 2019, por dois anos de contrato.

Patrocinador:

Rivalo Apostas Esportivas