Russell: Williams não será tão lenta quanto carro de 2019

Russell: Williams não será tão lenta quanto carro de 2019

Em comparação com o ano passado, o 2020 da Williams começou muito melhor. Em 2019, a equipe perdeu dois dias inteiros de teste, porque o FW42 simplesmente não ficou pronto a tempo. Neste ano, a equipe teve uma semana totalmente oposta: foi a primeira a ir para a pista na quarta-feira e George Russell conseguiu o nono melhor tempo na primeira semana de testes, a frente da Haas.

Quando perguntado se ele acha que a Williams estará mais próxima das equipes do meio do grid em comparação ao ano passado, quando conquistou apenas um ponto, Russell disse: “Não tem como nós estarmos tão atrás no ritmo quanto estávamos no ano passado”.

“No ano passado, nós estávamos, em média, um segundo atrás e você pode dizer que as outras equipes conseguiram melhorar em pelo menos três décimos – então para nós conseguirmos lutar, temos que melhorar pelo menos isso”.

“Se nós conseguirmos atingir nosso objetivo, que é brigar com as equipes do meio, acho que teremos feito um grande trabalho. Mas precisamos esperar – na próxima semana teremos um entendimento melhor da situação, mas, sendo realista, apenas em Melbourne que vamos realmente ver o posicionamento de todos”.

Russell passou a maior parte das manhãs dos dois primeiros dias completando uma série de testes de avaliação de aerodinâmica. Seu companheiro de equipe, Nicholas Latifi, foi à pista no último dia. Ele explicou que esse programa se deu porque a Williams trouxe “vários itens de aero” para testar e “ver se os resultados são parecidos com o do túnel de vento, e como eles atuam na pista”.

Ele acrescentou: “Tivemos uma boa quilometragem de pista para verificar alinhamento na segunda manhã. Ainda não sei os resultados, mas são coisas benéficas que são necessárias no começo. A quinta não foi o dia perfeito, mas acho que os resultados virão com o tempo”.

A vice-chefe da equipe, Claire Williams, disse que o grupo está buscando “uma posição no Q2”, além de pontuar em todas as etapas em 2020.

“Queremos correr”, disse. “Estamos aqui na Fórmula 1 para correr, é para isso que a Williams existe. Não estamos aqui para nada além disso. Estamos aqui porque amamos correr, e no ano passado não estávamos correndo”.

“Robert Kubica e George estavam correndo um contra o outro, e queremos voltar a estar brigando por uma vaga no Q2 em todas as corridas. E depois brigar por uma posição na corrida que traga nosso orgulho de volta e, com isso, George e Nicholas terão a chance de brigar com o pelotão do meio”.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta