GP da Holanda 2020 terá curva com inclinação maior que de Indianápolis e Pirelli vai ter que mudar pressão dos pneus

GP da Holanda, autódromo de Zandvoort

Fornecedora de pneus da Fórmula 1 precisará mexer na pressão dos compostos para assegurar que não haja problemas

De volta ao calendário da Fórmula 1 para a temporada 2020 com o GP da Holanda, o autódromo de Zandvoort terá uma curva em formato de oval com o dobro da inclinação do circuito de Indianápolis, que recebe a famosa Indy 500.

O ângulo será de 32%, o que equivale a 18 graus. Indianápolis, que sediou o GP dos Estados Unidos entre 2000 e 2007, registra inclinação de aproximadamente nove graus, ou seja, metade do que estão planejando para Zandvoort.

A antiga curva inclinada do tradicional circuito italiano de Monza tem 21 graus. Para fins de comparação, o autódromo norte-americano de Daytona, famoso por sua grande inclinação, tem picos de 31 graus.

Com isso, a fornecedora oficial de pneus da F1, a Pirelli, não terá outra opção: precisará aumentar a pressão dos pneus para a etapa holandesa de 2020, que terá o maior calendário da história da categoria, com 22 provas.

A medida vem no sentido de garantir que a prova decorra sem problemas, ao contrário do que se viu no GP dos EUA de 2005, quando todos os carros com pneus da Michelin (na época, a F1 tinha mais de um fornecedor de compostos) não disputaram a corrida de Indianápolis.

Mario Isola, diretor da Pirelli, garante que a empresa está ciente dos desafios que a curva de Zandvoort trará. Entretanto, são poucas as coisas que se podem fazer para que não haja problemas.

“A única coisa que podemos fazer é reagir com a pressão do pneu, então teremos que aumentá-la. Somos obrigados a permanecer na mesma especificação durante todo o ano, por isso não podemos projetar um pneu específico para Zandvoort”, disse o italiano.

“A única possibilidade é gerenciar as prescrições em termos de pressão. Também fizemos uma simulação da pista completamente plana e outra com a curvatura, para que você possa ver a diferença em termos de carga adicional no pneu”.

“Era isso que tínhamos em mente para calcular. Mas para fazer uma investigação adequada, precisamos receber a simulação das equipes e então estaremos em posição de definir a pressão adequada”, completou Isola.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta