CEO da McLaren desafia Ferrari a divulgar detalhes sobre polêmico acordo secreto com FIA: “O momento é ideal”

No começo do ano, a Ferrari esteve no centro de uma controvérsia, quando a FIA anunciou que havia chegado a um acordo secreto com a equipe para concluir uma investigação feita sobre a legalidade do motor usado na temporada 2019 da Fórmula 1. A decisão caiu mal entre as equipes, entre elas a McLaren, que está usando o momento do debate sobre o teto orçamentário para cobrar respostas.

O acordo, anunciado durante a pré-temporada da F1 em Barcelona, foi feito porque a FIA queria evitar um longo julgamento sobre o assunto, por não ter conseguido provar que a Ferrari havia burlado o regulamento, com a equipe sempre mantendo o discurso de que tudo era legal.

Com as equipes rivais irritadas com a natureza confidencial do acordo, o presidente da FIA, Jean Todt, falou recentemente que, por ele, todos os detalhes sobre o caso poderiam ser divulgados. Porém, a legislação jurídica da Federação determina que isso só pode acontecer com a aprovação da Ferrari, algo que dificilmente acontecerá.

Mas, após os comentários de Mattia Binotto, chefe da equipe, ao jornal The Guardian, onde falou sobre o “dever ético” de cuidar de sua equipe nesse momento de uma possível redução do teto orçamentário, o CEO da McLaren, Zak Brown, afirmou que essa postura moral deveria se aplicar a outras áreas.

Brown disse: “Sou a favor de uma postura ética. E, segundo nessa linha de ética, acho que seria ótimo se Mattia dividisse com nós os detalhes desse acordo secreto que eles chegaram sobre a quebra de regulamento do motor. A FIA já se mostrou disposta a isso”.

“Já que estamos falando sobre ética e transparência, acho que o momento é ideal”.

Os rivais da Ferrari escreveram à FIA falando sobre o desconforto acerca da natureza secreta desse acordo com a equipe italiana, mas, desde então, a Mercedes abandonou seu envolvimento com o assunto.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta