Entrevista: Conheça a trajetória do jovem piloto Vitor Martins

Todos os fãs de automobilismo que passaram a gostar ou a ter contato com o esporte ainda na infância, naturalmente sempre sonharam em ser pilotos profissionais, engenheiros, projetistas, chefes de equipe ou mesmo mecânicos de alguma equipe renomada da Fórmula 1 como a Ferrari ou a McLaren por exemplo, com o nosso entrevistado, o jovem piloto português de Rali Vítor Martins, de apenas 18 anos, não foi diferente, exceto é claro pela ordem inesperada que os acontecimentos de sua carreira tem se desenrolado até o presente momento, então nós iremos conhecer um pouco mais sobre ele nesta matéria.

Perguntas e Respostas

Vitor é português, natural e residente da cidade do Porto e tem 18 anos de idade.

F1 Templo: Qual seu nome completo? Onde nasceu? Onde vive agora?

Vitor: Me chamo Vítor Renato Oliveira Martins, sou natural e atualmente vivo na cidade do Porto, Portugal.

F1 Templo: Desde quando você soube ou decidiu que queria ser piloto de corridas? (conte um pouco de sua história). E qual idade você tem hoje?

Vitor: Bem essa é uma pergunta interessante, penso que esse prazer só surgiu à pouco tempo, eu sempre fui muito reservado e um pouco tímido, hoje sou o oposto, isso talvez refletia-se no papel que eu queria ter nas corridas, eu sempre dizia que queria ser mecânico ou chefe de equipa, sempre quis ter um papel mais de bastidores porque já na altura tinha noção da importância dessas pessoas para se ter uma equipa vencedora. Curiosamente o sonho de ser piloto surgiu por volta dos meus 14/15 anos, hoje estou com 18, e com ele veio esse prazer pela adrenalina, de andar sempre no limite, do carro e do meu. O fato de saberes que tudo pode ficar fora do controle ao mínimo deslize é fascinante.

F1 Templo: Quando era criança e adolescente você já gostava de correr?

Vitor: Eu sempre gostei de andar de Kart, ia muitas vezes para o Kartódromo da minha região por vezes só para ver os que lá estavam, sempre gostei muito daquele ambiente das corridas. Sempre que podia ia com o meu pai ver corridas, fosse qual fosse a categoria, Rally; Karting; Ralicross; Super Truck, tudo! Sempre gostei daquele ambiente, o som dos motores; o cheiro a gasolina. Tudo isso é maravilhoso.

F1 Templo: A sua família sempre lhe apoiou em todas suas decisões?

Vitor: Meus pais sempre me apoiaram, aliás sem eles nada disto seria possível. Os meus avós sempre foram um pouco reticentes à minha participação mas acabaram por aceitar (risos).

O tricampeão brasileiro de Fórmula 1 Ayrton Senna (Foto do Grande Prêmio de Portugal de 1985, corrida esta que foi a primeira ganha por ele), é a grande inspiração de Vitor.

F1 Templo: Qual piloto de corridas mais te inspirou na sua carreira? E por quê o tem como ídolo?

Vitor: Sem dúvidas o Ayrton Senna. Desde pequeno que eu ouvia histórias dele, então ao longo do tempo fui-me interessando sobre ele, suas façanhas e conquistas, só alguém muito especial faz o mesmo que ele fazia. Foi aí que percebi toda a admiração que as pessoas têm por ele, hoje eu sou uma dessas pessoas.

F1 Templo: Qual foi a primeira equipe que você competiu?

Vitor: Desde o inicio da carreira que eu corro pela minha própria equipe, a VRM Motorsport, daqui a uns meses nós iremos completar um ano de existência e isso só é possível graças ao apoio dos nossos patrocinadores e de diversas pessoas ligadas ao nosso projeto, estas ajudas são imprescindíveis para que nós possamos manter vivo este projeto e este sonho.

F1 Templo: O que você espera da sua equipe para os próximos anos, em termos de resultados e de desempenho de uma maneira geral?

Vitor: Neste primeiro ano, nós não tínhamos nenhuma meta definida em termos de resultados, o nosso objetivo era entender a dinâmica do esporte e recolher o máximo de informações possíveis para que no próximo ano pudéssemos estar já muito bem preparados desde o início. Para este ano o objetivo vai ser melhorar sempre os nossos resultados em relação às corridas anteriores de uma maneira que nós possamos amealhar o máximo de pontos possíveis. No ano seguinte esperamos conseguir terminar no pódio no final do campeonato.

F1 Templo: Qual a etapa dos seus treinamentos que você considera como a melhor e qual você acha que é a pior? E por quê?

Vitor: Eu acho que todo o treino é bom, seja ele físico; mental ou em pista com o carro. O melhor treino sem dúvida que é em pista, essa é a melhor maneira de melhorar a nossa performance e a do carro mas o treino físico e mental também e uma parte crucial na preparação para uma corrida, grande parte do campeonato que vou participar é realizado no verão e por isso atingimos temperaturas elevadas dentro dos carros, por essa razão é necessário estar bem preparado fisicamente para suportar esse calor.

F1 Templo: Qual é a sua principal rotina de treinamentos no dia-a-dia?

Vitor: O principal treinamento que eu faço é o aeróbico, para isso pratico corrida duas vezes por semana ao qual acrescento treinos musculares. Eu gostaria de poder treinar por mais tempo, mas é difícil pois tenho de conciliar as horas de treinamento com o trabalho durante a semana.

Na opinião do jovem piloto, a Ferrari é a equipe mais emblemática do automobilismo mundial.

F1 Templo: Para você, qual é a equipe mais emblemática da história do automobilismo mundial? E Por quê?

Vitor: Sem dúvida que a mais emblemática é a Ferrari, por tudo o que ela conquistou e o que representa, seja qual for a competição que a Ferrari participe, as atenções focam-se todas nela.

Quando perguntado ao Vitor, qual foi o maior designer de carros da Fórmula 1, ele afirma que seria uma equipe composta por Adrian Newey…

Por Colin Chapman…

E por Gordon Murray.

F1 Templo: Entre os projetistas dos carros de corrida, na sua opinião, qual é o maior de sempre na área? E por quais motivos?

Vitor: Acho que não dá para escolher somente um só, se tivesse de formar uma equipe sem dúvida escolheria Colin Chapman, Gordon Murray e Adrian Newey.

F1 Templo: Entre os diversos nichos de competição presentes no automobilismo, qual o que mais lhe agrada?

Vitor: Bem, o que está mais ligado a mim é o Rali, mas eu gosto de acompanhar as outras categorias também.

F1 Templo: De todos os pilotos portugueses, qual o seu favorito?

Vitor: Não tenho nenhum favorito, mas sem dúvida que temos excelentes pilotos, presentes em diversos campeonatos mundiais e com boas prestações.

F1 Templo: E pra nós concluirmos, como você enxerga o momento atual da Fórmula 1?

Vitor: Acho que desde a temporada de 2017 até agora a Fórmula 1 tem tido uma excelente evolução, os carros são os mais rápidos de sempre, temos tido grandes batalhas e momentos em pista. O rumo que a categoria está a tomar em termos de padronizar várias partes acho que é bom para a disputa mas não podemos esquecer que a Fórmula 1 e as corridas em geral são laboratórios para os fabricantes e é essencial que hajam partes que sejam únicas de cada equipe.

Muito bem amados, chegamos ao fim de mais uma maravilhosa e diferente matéria sobre automobilismo, espero que tenham gostado da nossa entrevista com o Vitor, pois ela foi feita com muito carinho e buscando sempre divulgar o melhor conteúdo sobre o assunto, através de pessoas que vivem neste agradável meio.

Att Bárbara Maffessoni.

 

Rivalo Apostas Esportivas

 

 

 

Deixe uma Resposta