Hamilton critica mundo do automobilismo por silêncio em meio à protestos por morte de Floyd: “Vocês não nos apoiam”

Neste domingo, o hexacampeão Lewis Hamilton voltou a usar seu perfil no Instagram para falar sobre a morte de George Floyd e os protestos que estão acontecendo pelos Estados Unidos. Porém, dessa vez, sua publicação foi para mandar um recado ao mundo do automobilismo e da Fórmula 1, que ainda não se manifestou contra a morte do americano de 46 anos.

Em uma publicação no Stories, Hamilton criticou o mundo do automobilismo pela falta de manifestações sobre a morte de Floyd e as agressões sofridas pela população negra americana.

“Eu vejo vocês que estão em silêncio, algumas das maiores estrelas, que, mesmo assim, ficam em silêncio em meio à injustiça”, disse. “Nenhum sinal de ninguém da minha indústria que, logicamente, é um esporte dominado por brancos. Eu sou um dos poucos pilotos negros lá, mas mesmo assim eu me levanto sozinho”.

“Eu achava que agora, após ver o que está acontecendo que vocês diriam algo sobre isso, mas vocês não nos apoiam. Saibam que eu sei quem vocês são e eu vejo o que vocês fazem…”.

Um dos poucos pilotos da F1 a se manifestar publicamente sobre o assunto foi Lando Norris, que colocou na biografia em seu perfil no Twitch: “Assine petições VNI [Vidas Negras Importam] #BlackLivesMatter”.

Horas depois, Hamilton se manifestou novamente sobre o assunto, demonstrando apoio aos protestos pacíficos, mas adicionou: “Não teremos paz até nossos ditos líderes promoverem mudanças”.

“E isso não é só na América, é no Reino Unido, Espanha, Itália, por todo lado. O modo que as minorias são tratadas precisa mudar, precisamos educar as pessoas sobre igualdade, racismo, e que todos somos iguais”.

“Nós não nascemos com racismo e ódio em nossos corações, isso é ensinado pelas pessoas que nos espelhamos”.

Ao longo do final de semana, Hamilton fez outras manifestações sobre a morte de Floyd. Na sexta, ele postou vídeos e fotos em seu perfil sobre agressões policiais em abordagens e na repressão aos protestos, dizendo “vocês são uma desgraça”.

“No mundo em que vivemos, quem será responsabilizado? Tenho certeza que não serão esses dois policiais”, afirmou.

No sábado, Hamilton postou um vídeo onde uma menina fala sobre o racismo e a busca por direitos iguais para a população negra. “Nós somos negros e não deveríamos nos sentir assim. Nós protestamos porque vocês nos tratam errado. Fazemos isso porque precisamos de nossos direitos”, diz um trecho do vídeo.

Anteriormente, Hamilton já havia falado sobre a necessidade de uma maior diversidade no automobilismo, afirmando que a situação estava “pior que nunca”.

“Eu realmente quero ser parte de uma mudança dentro da F1, trabalhando em cooperação com a F1 e a FIA. Não sei porque não temos mais diversidade vinda dos estudantes universitários, engenheiros, mecânicos, e até mesmo a mídia. Então, em 20 anos, quero olhar para trás e ver que fui parte de uma mudança”.

Atualização: poucas horas depois da postagem de Hamilton, Sergio Pérez foi o primeiro piloto do grid a se manifestar sobre o assunto, compartilhando em seu perfil no Twitter um vídeo com a hashtag “#BlackLivesMatter”.

Já Charles Leclerc publicou em seu Instagram a seguinte mensagem: “#BlackLivesMatter Para ser totalmente honesto, eu não achava que era meu lugar falar sobre isso, e me não me sentia confortável compartilhando meu pensamento nas redes sociais sobre toda a situação, e é por isso que eu não havia me expressado antes de hoje”.

“E eu estava completamente errado”.

“Eu ainda luto para encontrar as palavras para descrever as atrocidades de alguns vídeos que vi na internet. O racismo precisa ser combatido com ações, não com silêncio. Por favor, participem ativamente e encorajando os outros a espalharem a conscientização. É nossa responsabilidade denunciar a injustiça. Não fique em silêncio. Eu não ficarei. #BlackLivesMatters”.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta