Projetista da Copersucar, Ricardo Divila morre aos 74 anos

Uma notícia triste para o automobilismo brasileiro. O projetista da Copersucar na Fórmula 1, Ricardo Divila, morreu na madrugada desde sábado (25), na França, país onde vivia, aos 74 anos.

Há cerca de um mês, o engenheiro teve um acidente vascular cerebral, mas vinha se recuperando bem, e lutava também contra um câncer no pâncreas. Na semana passada, Divila havia voltado ao hospital e estava internado em estado grave. O brasileiro não tinha filhos e deixa sua esposa, Krystyna.

Divila era considerado um dos grandes do automobilismo brasileiro. Nascido em São Paulo e formado em engenharia astronáutica pela FEI, se destacou como diretor técnico da Copersucar, estando no comando da primeira equipe brasileira na F1, um projeto capitaneado pelos irmãos Wilson e Emerson Fittipaldi.

A equipe esteve na F1 de 1975 a 1982, tendo como pilotos, além dos Fittipaldi, Ingo Hoffmann, Alex Dias Ribeiro, Chico Serra, Keke Rosberg e o italiano Arturo Merzario.

Os três primeiros carros da Copersucar carregavam as iniciais FD, em referência aos sobrenomes Fittipaldi e Divila.

Além a Copersucar, Divila trabalhou em outras equipes na F1: Ligier, Life e Fondmetal. Após sua saída da categoria, passou a trabalhar com a Nissan nos programas de automobilismo da montadora.

Em suas redes sociais, Christian Fittipaldi, filho de Wilson e sobrinho de Emerson, prestou uma homenagem à Divila: “Sem palavras, meu amigo Ricardo e ‘irmão’ do meu pai, siga sua trajetória em paz. Muito obrigado por tudo que você sempre fez para Família Fittipaldi”, disse o piloto.

Fonte Motorsport

Patrocinador:

Deixe uma Resposta